ANEDOTAS COM PAIS E FILHOS!
 

Carlinhos foi pescar com o pai. Passado algum tempo o garoto pergunta:
- Pai, como é que os peixes respiram debaixo d'agua?
- Não sei meu filho!
Pouco depois:
- Pai, porque é que o céu é azul?
- Não sei meu filho!
Mais tarde:
- Pai, porque é que os barcos não afundam?
- Isso eu também não sei, meu filho.
- Pai, você não se incomoda de eu ficar fazendo essas perguntas, não é?
- Claro que não meu filho! Se você não perguntar, nunca vai aprender nada!!!
(Colaboração de Cesária Correia)

O menino entra de repente no quarto e vê a mãe, em flagrante, deitada por cima do pai.
- Que é que estás a fazer, mamã?
- Ah... querido... bem... é que o teu pai está muito gordo e eu estou a tirar todo o ar que está dentro dele...
- Não adianta, mamã! Quando tu fores trabalhar, a vizinha do lado vai soprar no canudinho e ele volta a encher de novo!

Joãozinho vai a farmácia e pede...
- Seu Joaquim, me dê uma caixa de supositórios.
Distraído, o menino pega a caixa e vai saindo da farmácia sem entregar o dinheiro.
- É para pôr na conta de sua mãe? - pergunta o farmacêutico.
- Não, é para pôr no cú de meu pai!

O primo do Joãozinho!
Um belo dia nasceu o primo do Joãozinho. O bébé até que era bonito, se não fosse um pequeno detalhe: nasceu sem orelhas!
A mãe do Joãozinho tinha que ir visitar o mais novo membro da família, mas não queria levar o Joãozinho, pois sabe-se lá o que ele poderia dizer do primo. Mas como não havia ninguém para ficar a tomar conta do Joãozinho ele foi mesmo visitar o primo. A mãe avisou-o logo para ficar calado, senão, ficava um mês de castigo.
Quando chegaram a casa da tia, o Joãozinho ficou num canto do quarto, quieto e calado! Mas logo se apercebeu de que o bebé não tinha orelhas. Entusiasmado com a descoberta, mas receando o castigo, preferiu não tocar no assunto. Limitou-se dizer:
- Tomara que tenha bons olhos!
Todos ficaram surpreendidos com o gesto nobre e solidário do Joãozinho. Então, a tia do Joãozinho espantada pelo sobrinho ter dito uma coisa boa a alguém, perguntou-lhe:
- Joãozinho, que frase bonita que disseste. Mas porque é que desejas que ele tenha bons olhos?
- Porque se tiver de usar óculos tá lixado!