ANEDOTAS ALENTEJANAS!
 

O Registo Civil de Beja recebeu o seguinte requerimento:
"Beja, 5 de Fevereiro de 2006.
Eu, Maria José Pau, gostaria de saber da possibilidade de se abolir o sobrenome Pau do meu nome, já que a presença do Pau me tem deixado embaraçada em várias situações. Desde já agradeço a atenção despendida.
Peço deferimento,
Maria José Pau."
Em resposta, recebeu a seguinte carta do Registo Civil:
"Cara Senhora Pau:
Sobre a sua solicitação da remoção do Pau, gostaríamos de lhe dizer que a
nova legislação permite a remoção do Pau, mas o processo é complicado e
moroso. Se o Pau tiver sido adquirido após o casamento, a remoção é mais
fácil, pois, afinal de contas, ninguém é obrigado a usar o Pau do cônjuge se
não quiser. Se o Pau for do seu pai, torna-se mais difícil, pois o Pau a que
nos referimos é de família e tem sido utilizado há várias gerações. Se a
senhora tiver irmãos ou irmãs, a remoção do Pau torná-la-ia diferente do
resto da família. Cortar o Pau do seu pai pode ser algo muito desagradável
para ele. Outro senão está no facto do seu nome conter apenas nomes
próprios, e poderá ficar esquisito, caso não haja nada para colocar no lugar
do Pau. Isto sem mencionar que as pessoas estranharão muito ao saber que a
senhora deixou de ter o Pau do seu marido! Uma opção viável seria a troca
da ordem dos nomes. Se a senhora colocar o Pau na frente da Maria e atrás do
José, o Pau pode ser escondido, pois poderia assinar o seu nome como "Maria
P. José". A nossa opinião é a de que o preconceito contra este nome já acabou
há muito tempo e visto que a senhora já usou o Pau do seu marido por tanto
tempo, não custa nada usá-lo um pouco mais! Eu mesmo possuo Pau, sempre o usei e muito poucas vezes o Pau me causou embaraços!
Atenciosamente,
Bernardo Romeu Pau Grosso
Registo Civil de Beja"

 

Os Alentejanos...

Numa bela manhã de Primavera, uma morenaça circulava num bruto automóvel pela planície alentejana. A certa altura pára, sai do carro e, ao contemplar aquela imensidão dá-lhe uma vontade tremenda de fazer amor!

Desorientada e excitadíssima, olha em redor e vê um pastor alentejano... um latagão encostado ao cajado e de boné meio atravessado. Dirige-se a ele:

- O sr. desculpe... não faça má ideia de mim... Mas, não gostaria de fazer amor comigo aqui mesmo?

- Atão na havera de gostari? É pra já!

Ela, dando-lhe um preservativo, diz-lhe:

- Então vá pondo isso, que eu vou só ali ao carro preparar-me.

Quando volta e vê o alentejano a tentar pôr o preservativo pela cabeça abaixo, lamenta-se em voz alta:

- Olha a minha vida!... Onde é que eu fui cair!!! Ouça lá, isso não é para aí, homenzinho!!! Olha a minha vida!!...

- Na têjas já práí a lamentar-te moça, quê só tô a alargá-lo pra servir melhor!!!

O Alentejano entrega uma batelada de exames que acabara de fazer para o médico... este abre-os, torce o nariz e diz:
- O senhor está com diabetes!
- Diabetes? Mmas... que diabo de doença é essa dótori?
- Em outras palavras, o senhor tem açúcar na urina!
- Quêi? Vocemessêi tá-me dezendo que a safada da Maria chupava por gulodice e nã por prazeri?

 Um casal viajava em seu carro com destino ao Alentejo. Em casa, em Lisboa, tinham tido uma tremenda  discussão por causa daquela visita aos pais da mulher! De modos que aquela viagem mais parecia um velório. Ao fim de mais de 3 horas calado, o homem procurava um pretexto para atingir a casmurra da mulher! Quando, nisso avistam um curral com dois suculentos porcos... O homem, esfrega as mãos e diz sarcástico:
- São os teus familiares?
- Sim... São os meus sogros. 

Uma mulher vai à pesca para uma zona muito frequentada e, arma o seu banquinho articulado perto de outros pescadores. Começa a pescar e num instante enche o seu cabaz de peixes! Um pescador que se encontrava próximo, já farto de dar banho à minhoca, sem nada apanhar, diz:
- Ó minha senhora, desculpe! Eu estou aqui à horas e ainda não apanhei nada... qual é o seu segredo?
- É o meu Manel...
- O seu Manel??? Mas, a senhora está sozinha!
- Eu explico... De manhã, quando me levanto, olho para o coiso do meu Manel... se estiver para a direita, eu lanço o anzol para para o lado direito... se estiver para esquerda lanço para o lado esquerdo... e se estiver para baixo, lanço o anzol para o meio! Nunca falha...
- Hum! E se estivar para cima, para que lado lança o anzol?
- Se estiver para cima... que se lixe a pesca, fico em casa com o meu Manel.